Menu

30 de Dezembro, 2021

Balanço 2021. O melhor e o pior da SIC

Casa Feliz/Instagram

O último ano foi de consagração da SIC que mostrou ser capaz de viver sem Cristina Ferreira, dúvidas houvesse. O canal volta a ser líder de audiências, sem grandes problemas, e pouca coisa correu mal nas apostas de Daniel Oliveira. Há, no entanto, dois dedos apontados para escolhas menos felizes neste balanço do ano

Dois destaques positivos no balanço de 2021:

‘Casa Feliz’

Com tantas vitórias, o difícil é mesmo escolher o melhor do terceiro canal neste balanço anual. O ‘Casa Feliz’ é o principal destaque, sobretudo pelos seus apresentadores: Diana Chaves e João Baião. A dupla consagrou-se e, apesar de um ou outro dia menos feliz, a verdade é que o formato das manhãs de Paço de Arcos dominou audiências na maioria dos dias, mesmo frente a um novo programa na TVI.

‘A Máscara’

As duas temporadas exibidas este ano foram um enorme sucesso, sobretudo nas primeiras semanas. Divertido e surpreendente, o formato está para ficar na televisão. João Manzarra e companhia formam a equipa ideal para um programa sem grandes ambições além de entreter. Acima de tudo, merece um aplauso pela excelente produção.

Destaques negativos de 2021:

‘Quem Quer Namorar Com o Agricultor? – Tudo ou Nada’

A edição extra dos “agricultores”, que trouxe de volta antigos concorrentes, enterrou o formato por uns bons tempos, não devendo regressar no próximo ano. Tratou-se de uma espécie de “intervalo” entre a quarta temporada e a chegada de ‘A Máscara’. O público não é burro e percebeu, de alguma forma, que se estavam a encher chouriços. 

‘Especiais’

Em 2021 tudo foi especial para a SIC. Seja um episódio banal de uma novela, seja uma edição banal de mais um dos seus programas. O uso e abuso da palavra no ecrã tornou tudo banal a partir de agora. O pior, é que um canal líder de audiências nem precisava destas artimanhas. Algo a corrigir em 2022.

Categorias: Tags: