Menu

5 de Outubro, 2021

Opinião. Os ‘Globos de Ouro’, literalmente, da SIC

Caras/Instagram

A 25.ª edição dos ‘Globos de Ouro’ foi para o ar, este domingo (04/10), e entregou prémios em várias categorias. Apresentada por Clara de Sousa, a gala teve momentos altos e que merecem a pena relembrar, embora existam outros tantos que serão mesmo para esquecer.

A atual situação pandémica permitiu a realização dos ‘Globos de Ouro’, embora o habitual desfile na ‘Passadeira Vermelha’ não tenha existido. Após um ano de interregno, não foi difícil fazer esquecer a edição anterior e em que Cristina Ferreira foi a figura central. O certame deste ano teve de tudo, para o bom e para o mau, e esteve quase a tornar-se nuns prémios SIC, não fossem uma ou outra escolha para disfarçar o desfile de prémios entregues a figuras do canal, uns mais merecedores que outros.

Clara de Sousa

A escolha da estação de Paço de Arcos foi bastante interessante e pode dizer-se que certeira. Ter uma jornalista à frente da cerimónia retirou o peso de substituir a atual diretora de entretenimento e ficção da TVI. A pivô do ‘Jornal da Noite’ acabou por ser uma figura pouco presente ao longo da noite e preferiu deixar de lado os vedetismos e ficar-se apenas por um vestido, algo inédito. Apesar de ter estado bem, Clara de Sousa esteve como um peixe fora de água, sobretudo quando tentou ser engraçada. Não comprometeu, mas também não animou.

A gala e as falhas

No geral, foi uma boa gala. A abertura gravada com a apresentadora pelas ruas de Lisboa, a apresentação dos convidados no palco com um toque de humor, as homenagens, os prémios especiais dos 25 anos e a maioria das atuações foram os pontos fortes da noite. Por outro lado, a amadora falha técnica que colocou no ar os bastidores do evento, o chorrilho de globos que, a dada altura, eram tão previsíveis no que toca a vencedores que qualquer suspense era desnecessário, o “musical” gravado e mal interpretado por atores da novela e Júlia Pinheiro e a pouca presença de Clara de Sousa no evento foram, de facto, os pontos negativos.

Por fim, ficou a faltar um momento de humor que, sobretudo hoje em dia, fazia muita falta. Valeram, nesse campo, as presenças de Bruno Nogueira, César Mourão e Ricardo Araújo Pereira.

Alfinetadas a Cristina

Ao longo da noite, Cristina Ferreira foi presença assídua mesmo não estando presente no Coliseu dos Recreios. Foi uma noite de algumas alfinetadas que podia muito ter-se ficado por apenas uma. Na gala das elegâncias, a SIC acabou por ser a mais deselegante.

Globos

César Mourão - Globos de Ouro

Apesar de já ter referido que parte do início da noite foi pouco surpreendente relativamente aos vencedores, com quase todos os rostos do canal a sair da sala mais carregados. É importante enaltecer também a coragem de entregar prémios especiais a caras de outros canais, leia-se da RTP. Justíssimos os prémios de Fernando Mendes e de Filomena Cautela que teve um dos melhores discursos da noite e que, nesse momento, teve mais público que qualquer outra parte da festa.

Categorias: Tags:


Tiago Lourenço