Menu

13 de Maio, 2021

Maria João Abreu. A atriz que nos fez rir e que agora nos faz chorar

Maria João Abreu faleceu esta quinta-feira (13/05), no hospital Garcia de Orta, em Almada. Aos 57 anos, a atriz partiu depois de ter sofrido dois aneurismas e de estar hospitalizada desde 30 de abril. A profissional é uma das grandes figuras do teatro e também da televisão. Recorde o percurso profissional e os papéis que marcaram a sua carreira.

Maria João Abreu
Maria João Abreu/Instagram

Portugal perdeu uma grande atriz, mas para sempre fica o seu legado em várias áreas, das quais se destacam o teatro e a televisão. Maria João Abreu inciou a sua carreira em 1983, aos 19 anos, no Teatro Maria Matos. A suas estreia foi no musical ‘Annie’, dirigido por Armando Cortez.

Mais tarde, destacou-se como atriz de comédia em várias revistas do Parque Mayer. Contudo, foi em ‘O Último dos Marialvas’, de 1991, que se destacou como mestre em fazer rir o público. Apesar de vários sucessos no teatro, chegou a revelar no ‘Alta Definição’, da SIC, que foi vítima de bullying. “Foi grave, foi muito grave”, afirmou a Daniel Oliveira em 2019.

O seu percurso profissiona teve uma reviravolta em 1998. Nesse ano, criou a produtora ‘Toca dos Raposos’, com José Raposo, que na época ainda era seu marido. Os dois criaram a revista ‘Ó Troilaré, Ó Troilará’, expressão que ficou nas bocas do povo devido à personagem Lucinda, de ‘Médico de Família’. A série da SIC catapultou-a para o sucesso televisivo.

Já na TVI, fez parte do elenco de Jardins Proibidos, em 2000. Dois anos mais tarde, protagonizou ao lado do atual ex-marido a série cómica ‘Bons Vizinhos’. Seguiram-se vários papéis no pequeno ecrã. Maria João Abreu foi figura assídua de apostas dos três principais canais generalistas nacionais. ‘Feitiço de Amor’, ‘Sentimentos’, ‘Cidade Despida’, ‘Conta-me Como Foi’, ‘Espírito Indomável’, ‘Mar Salgado’, ‘Amor Maior’ ou ‘Paixão’ foram alguns dos projetos aos quais emprestou o seu talento.

Fotografia.: Instagram Golpe de Sorte

Mais recentemente, brilhou em ‘Golpe de Sorte’, como protagonista. Brilhou também no programa ‘A Máscara’ e estava  atualmente a trabalhar em ‘Patrões Fora’ e na novela ‘A Serra’, na SIC.

Profissional multifacetada

Além do sucesso no teatro, para o qual nunca deixou de trabalhar, e da televisão, a profissional também brilhou no cinema português. ‘Amo-te Teresa’, ‘Telefona-me’, ‘A Falha’, ou mais recentemente, ‘Call Girl’, ‘Florbela’ ou ‘A Mãe é que Sabe’ fizeram parte do leque de películas das quais participou.

Maria João nasceu em Lisboa, em 1964, no seio de uma família de origens humildes. Nesse sentido, viu-se obrigada a batalhar para conseguir chegar ao sucesso.

Mãe de dois filhos, Miguel e Ricardo, era conhecida por “preocupar-se demasiado com os outros”, como revelou o mais jovem no programa de Bárbara Guimarães, ‘24 Horas de Vida’.
A 30 de abril, sentiu-se mal durante as gravações da novela ‘A Serra’. Apesar de ter sido imediatamente assistida e levada para o hospital, a mulher acabou por não resistir a dois aneurismas e a várias operações, tendo falecido esta segunda-feira, 16 dias depois de ter completado 57 anos.

Categorias: Tags: