Menu

12 de Abril, 2021

Opinião. Bruno Nogueira conseguiu a impensável novidade em TV

‘Princípio, Meio e Fim’ estreou na noite de domingo (11/04), e, pelo menos, conseguiu acabar com a frase feita de que já tudo foi inventado na televisão. Bruno Nogueira, goste-se ou não, criou um formato inédito no pequeno ecrã e que a SIC teve a coragem de pagar e colocar no ar.

Bruno Nogueira em Princípio, Meio e Fim
SIC/Instagram

É cada vez mais raro na televisão nacional assistirmos a programas que não sejam a adaptação daquilo que já se fez ou, em muitos casos, daquilo que se faz no mundo. O novo projeto de Bruno Nogueira é louco, às vezes descabido ou ilógico, sim, mas ninguém pode dizer que já tinha visto algo igual ou parecido.

‘Princípio, Meio e Fim’ não é para todos, aliás, até é só para alguns. É preciso ir-se para a experiência de espírito aberto e, depois, caberá a cada um dizer se gostou ou não. 

Neste jantar semanal, em que quatro guionistas tem duas horas para escrever um encontro entre amigos, tudo é permitido e não há espaço a correções ou revisões de texto. Na estreia, por exemplo, Salvador Martinha escreveu um diálogo num computador, de olhos tapados, e esse mesmo diálogo, obviamente mal escrito, acabou mais tarde por ser reproduzido por Nuno Lopes.

A magia deste novo programa está na oportunidade que o espectador tem em poder espreitar trechos do processo criativo e poder assistir depois à representação do enredo, com apoio de ajudas visuais, sobre aquilo que se está a acontecer e que, muitas vezes, não tem qualquer tipo de lógica.

Bruno Nogueira deu uma pedrada no charco e merece os parabéns por isso. Por sua vez, também a SIC tem de ser aplaudida. Muito dificilmente, uma estação de televisão de sinal aberto apostaria num formato do género, seja pela “falta de liberdade” por um lado, ou por não ter interesse em investir num produto que, à partida, não seria um programa de “massas” e que, pelo seu conteúdo, teria de passar em horários tardios.

Vou continuar a acompanhar o ‘Princípio, Meio e Fim’, não por me ter levado às lágrimas de tanto rir, mas porque me apetece ser realmente surpreendido, algo já pouco provável na televisão de hoje em dia.

Audiências da estreia

O primeiro programa conseguiu liderar audiências com 5,2% de audiência média e 20,9% de quota de mercado. Em média, a estreia da SIC conseguiu 495 mil telespectadores. Contudo, o formato humorístico perdeu cerca de 325 mil telespectadores do início para o final da emissão, número avançados https://espalhafactos.com/2021/04/12/audiencias-principio-meio-e-fim-lidera-com-meio-milhao-de-espetadores/?fbclid=IwAR1hLoiurOIq5tVSZIufcmZmyaitKu2TMwAXkYb-mQQZ8VGXvcfra8Z40s4pelo Espalha-Factos.

Categorias: Tags: