Menu

15 de Março, 2021

Opinião. O ‘Hell’s Kitchen’ não precisa ser um pesadelo na cozinha

A estreia do ‘Hell’s Kitchen’ era uma das mais aguardadas dos últimos meses, tanto pelo formato, como pela estreia do chef Ljubomir Stanisic na SIC. O primeiro programa liderou na estreia, mas longe de números avassaladores. A adaptação é perfeita, mas não deixa de ter vários pontos negativos em que se inclui a prestação da estrela principal.

Hell’s Kitchen
Divulgaçáo SIC

A SIC prometeu um formato em grande, com um cenário megalómano e cumpriu. Realmente, se compararmos a edição americana, liderada por Gordon Ramsay, pouco há a apontar. O exterior, o restaurante, a sala de convívio, o escritório do chef e a cozinha não deixam nada a desejar e esse é o grande ponto forte da versão nacional do ‘Hell’s Kitchen’.

Quanto a Ljubomir, está igual a si mesmo e isso já não é novidade. Mas lá por ser sincero e verdadeiro, nem sempre temos de aceitar de bom agrado aquilo que diz ou a forma como diz e isso é uma dos grandes destaques negativos desta estreia. A crítica e o insulto, quando gratuitos, perdem o sentido. Expressões como “já defequei melhor”, “picha murcha” ou “merda”, esta última a toda a hora, condizem pouco com um programa de horário nobre que se quer familiar. Não que seja mais papista que o papa, mas também tudo o que é demais enjoa.

Ainda nos pontos negativos, e aqui não sei se se trata de uma imposição do formato internacional, não entendo como é que a esta altura do campeonato se tenham dividido as duas equipas em competição entre homens e mulheres. A igualdade de género pareceu esquecida, a que se juntaram vários comentários sexistas do dono do ‘100 Maneiras’.

Todavia, a SIC mostrou como se faz uma estreia dinâmica em que há muita gente para apresentar e regras por explicar. Não houve tempos mortos, e tudo ficou encadeado de tal forma que não se tornou maçador. Igualmente no campo dos elogios, há que ressalvar o bom casting. Há a senhora querida, a boazona, a miúda do campo, o mauzão, os putos e até um ou outro concorrente com uma história mais tocante. Também aí o programa acertou. Houve tempo para a história de puxar a lágrima, embora fugaz e ainda bem.

Boas audiências, embora longe de excelentes

Duvido muito que a estreia de Ljubomir no horário nobre não tenha causado um sorriso amarelo na direção da SIC quando viram as audiências na manhã de segunda-feira.

Apesar de ter liderado de uma ponta a outra da emissão, é inegável que esteve longe dos números bem mais elevados dos últimos programas do chef na TVI ou até mesmo da estreia de, por exemplo, ‘A Máscara’ também este ano.

Finalmente, este ‘Hell’s Kitchen’ tem mais coisas boas do que más. Porém, há afinações que precisam ser feitas na próxima temporada, sendo que nesta provavelmente já não vão a tempo. 

Categorias: Tags: