Que televisão nos espera nos próximos meses?

Cristina Ferreira apresentadora de televisão
Fotografia.: Instagram SIC Oficial

O futuro é, cada vez mais, uma incógnita. Ninguém sabe como e quando vai terminar a pandemia provocada pelo novo coronavírus, ou se vai mesmo desaparecer.

A televisão foi obrigada a adaptar-se a uma nova realidade. Por agora, os programas em direto deixaram de ter público ao vivo, os programas itinerantes estão suspensos e alguns formatos foram cancelados.

A ficção tinha, até agora, uma frente de episódios gravados suficientemente grande para não abalar a sua normal transmissão. Neste caso, apenas a TVI foi obrigada a utilizar o mesmo modelo da brasileira TV Globo e reeditar um sucesso antigo.

Mas, daqui para a frente, que televisão nos espera?

Seguramente que nos próximos meses não vai mudar muito, tendo em conta aquilo que vemos hoje em dia. Os atores voltaram a gravar e, aos poucos, os programas diários vão já recebendo convidados presencialmente.

Só que, tudo o que vamos poder ver depois do verão, mesmo que a Covid-19 nos dê algumas tréguas, será condicionado pela situação atual. Novelas e séries não vão ter beijos, abraços ou violência. Programas gravados não vão contar com público e haverá sempre a distância necessária entre intervenientes. Algo que nos vai causar estranheza, sobretudo em grandes formatos, como no caso do ‘The Voice Portugal’.

Além disso, vamos ter de nos habituar a ver, por exemplo, jornalistas e repórteres com máscara enquanto fazem as suas reportagens.

Em suma, a verdadeira televisão diferente só vai chegar daqui a uns meses já que, atualmente, grande parte do que vemos já estava feito antes da pandemia.

%d bloggers like this: