A estreia do “La Banda” – Opinião

Fotografia.: Logotipo de “La Banda”

“La Banda” estreou este domingo à noite na RTP1. O programa pretende encontrar os elementos certos para formar um novo grupo musical português.

O canal público quis encontrar uma alternativa ao já desgastado “The Voice Portugal”, que precisa mesmo de uma pausa, e um programa de talentos que faça esquecer o fracasso de audiências que foi o “Famílias Frente a Frente”.

Em todos os sentidos, o “La Banda” é melhor do que imaginei. Contudo, começo pela grande falha do formato que em nada tem que ver com a RTP.

Um programa que procura jovens cantores que são inicialmente eleitos pelo público em estúdio apenas através da avaliação visual e por meia dúzia de palavras trocadas com a apresentadora, não pode querer ser levado a sério. É aí que o novo programa perde em toda a linha. É realmente inenarrável tal forma de seleção que podia muito bem ser contornada com um pequeno momento acapella.

Colocada a grande falha em cima da mesa, só me resta dizer bem. O talent show mostrou juventude, dinâmica, um bom cenário, uma apresentadora em forma e um júri surpreendentemente entrosado.

Sílvia Alberto esteve bem, extraordinariamente bem para aquilo que têm sido as últimas prestações. Solta, visivelmente feliz e bem coordenada com os vários momentos do programa. Foi uma boa escolha.

O painel de jurados era uma das minhas maiores reticências. Manuel Moura dos Santos percebeu que a figura de “mauzão” só por que sim já não funciona e alterou a sua postura. Carolina Deslandes foi quem esteve melhor. Muito próxima do estilo “Marisa Liz”, no “The Voice Portugal”, foi doce e acertiva quando teve de o ser. Miguel Cristovinho também esteve bem, mas precisa de alargar o leque de vocabulário nas avaliações. Tornou-se bastante repetitivo.

A mecânica do concurso, pelo menos nestas audições iniciais, é interessante porque consegue misturar as audições à porta fechado do “Ídolos”, com as audições com público do “Factor X”.

O casting também me pareceu bem feito. O programa conta já com um bom leque de concorrentes e que encaixam perfeitamente numa banda jovem.

“La Banda” estreou atrás da concorrência das privadas e só no final da emissão conseguiu sobrepor-se à TVI e empatar com a SIC, que liderou com o “Quem quer casar com o agricultor?”. Ao todo, a RTP1 conseguiu com a estreia cerca de 662 mil espectadores (6,8% de audiência média e 13.8% de quota de mercado), em média.

Se a qualidade da estreia se mantiver nos próximos programas, creio que há a possibilidade de subir nas audiências, mas nunca será capaz de alcançar os valores já obtidos pelo “The Voice Portugal”.

É um bom esforço da RTP que dá ao espectador a oportunidade de ver algo diferente daquilo que os canais privados têm para oferecer.

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: