“Quem quer namorar com o agricultor?” Vs. “Quem quer casar com o meu filho?” – Opinião

Fotografia.: Imagem SIC

“Quem quer namorar com o agricultor?” e “Quem quer casar com o meu filho?” estrearam no domingo na SIC e na TVI, respetivamente. Desde então, há um sem número de opiniões e comentários negativos acerca dos mesmos. É aqui que quero fazer uma ressalva antes de opinar.

A minha opinião será sempre sobre os formatos enquanto produtos televisivos. Ainda assim, devo dizer que compreendo as críticas em relação às mulheres, mas também não posso deixar de afirmar que nenhuma delas foi obrigada a concorrer e, por isso, pense-se o que se pensar, elas estão a dar usa à sua própria liberdade de escolha, como cada um de nós tem a liberdade de mudar de canal ou de desligar a televisão.

Posto isto, começo por comentar o formato da SIC. “Quem quer namorar com o agricultor?” apresentou-se com uma qualidade de edição e captação de imagem acima da média. As paisagens e a vida no campo, extraordinariamente apresentadas, mostram um Portugal que muitos não conhecem e um mundo rural de que muitos portugueses não têm noção. Se não valer a pena por mais nada, ao menos que valha por isso.

A nova experiência social teve uma estreia bastante equilibrada: não se arrastou em apresentações, mostrou vários cenários e várias fases. Nesta caso, a forma de seleção das mulheres pelos agricultores é menos “agressivo” que na concorrência.

Já no que toca a Andreia Rodrigues, a apresentadora tem sido alvo de críticas por ser mulher de Daniel Oliveira, diretor de programas da SIC. Tenho de defendê-la. É claro que se o marido não tivesse a posição que tem, muito dificilmente seria a escolha para a apresentação. Por outro lado, mostrou que mereceu a oportunidade. Mostrou-se segura, simpática e natural. Se não acrescenta nada, também não compromete.

No geral, o formato mantém o romantismo de “Casados à primeira vista”, com a nuance de vida no campo o que o torna mais interessante.

Fotografia.: Imagem TVI via Facebook

Já o “Quem quer casar com o meu filho?” é um formato tipicamente ligado à TVI. Não foge muito ao casting que tem sido feito para o “Secret Story” ou para o “Love on top”. O que quero com isto dizer é que, com as escolhas feitas, o programa torna-se mais polémico. Comparando com o concorrente, há um apelo maior ao género cómico e menos ao romântico.

Também o processo de seleção de candidatas por parte das mães e dos seus filhos é mais “agressivo”. É uma espécie de entrevista de emprego.

O programa também foi dinâmico, pouco arrastado, mas menos cuidado no que toca a edição.

Quanto a Leonor Poeiras, não sinto que tenha começado da melhor forma. Inicialmente, apesar do à-vontade, pareceu-me artificial e com um tom austero, mas que foi melhorando com o decorrer do programa.

No geral, por agora, não posso deixar de afirmar que o programa da SIC é melhor que o da TVI. Nem sempre as audiências são um sinónimo de qualidade, neste caso, “Quem quer casar com o agricultor?” foi líder de audiências.

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: