Menu

17 de Fevereiro, 2019

O Festival que poucos veem e que muitos falam

Fotografia.: RTP/João Pedro Correia

Fotografia.: RTP/João Pedro Correia

O “Festival da Canção” arrancou este sábado para mais um edição. Depois de ter honras de domingo à noite, o certame foi para o ar um dia antes. Relacionado ou não, a verdade é que perdeu cerca de 147 mil espectadores em relação a 2018.

Ao todo, o concurso que elege o representante português para o “Festival Eurovisão da Canção”, foi seguido, em média, por cerca de 623 mil espectadores (6,4% de audiência média e 14,7% de quota de mercado). O resultado não chegou para a RTP1 sair do terceiro lugar no horário noturno.

A verdade é que a edição deste ano está nas bocas do país e do mundo por causa de uma participação, mas isso não se revela em resultados na televisão.

Conan Osíris é quem está a mexer com o Festival deste ano. Uns adoram o estilo alternativo, outros odeiam a diferença. “Telemóveis” é a canção a concurso e que muito tem dado que falar. A verdade é que, por mais estranha que seja a figura do artista, a música entra no ouvido e tem mais de Portugal do que muitos pensam e também mais do que qualquer adversária.

Quando se diz ou se escreve que Conan não é o retrato do país, eu afirmo que deveria ser. Não porque deveriamos ser todos assim, mas porque uma nação que se afirma liberal, devia aceitar melhor aqueles não se regem pelos padrões habituais da sociedade. Se acho a figura estranha? Acho, mas prefiro concentrar-me na música que pode vir a representar Portugal. Aí, “Telemóveis” está a ser muito bem recebida pelo público internacional e, caso vença internamente, temos uma grande oportunidade de voltar a fazer bonito no “Eurovision Song Contest”.

Aceito perfeitamente que não se goste da canção e do artista, mas não aceito que se afirme que a RTP não devia dar tempo de antena a esta participação. Até porque, se não fosse Conan Osíris, o Festival voltaria a estar esquecido pela maioria.

Quanto à primeira semifinal, é notório que o canal público aprendeu com a realização do “Festival Eurovisão da Canção”. O jogo de luzes, as melhorias no cenário e a realização deram à noite de ontem um brilho e uma dinâmica que há muito não se via em televisão, sobretudo quando a grande maioria da canções apresentadas não permitia grandes espetáculos.

Matay venceu a primeira batalha com a maior pontuação do júri e a segunda melhor votação do público. Conan Osíris levou a melhor apenas no que aos espectadores diz respeito.

 

A final está marcada para dia 2 de março. Veja ou reveja as duas atuações mais votadas da noite:

Os dados apresentados são provisórios, incluem as gravações e são da responsabilidade da CAEM/GfK. Podem sofrer alterações.
Artigo corrigido a 17/02/2019 às 19H56.

Categorias: Tags:


Tiago Lourenço