Menu

14 de Janeiro, 2019

“Lip Sync Portugal” – Opinião

Lip-Sync-Portugal.jpg

O primeiro programa foi para o ar este domingo e juntou César Mourão e João Manzarra, pela primeira vez, na apresentação.

Começo pelo fim, no geral, não gostei do novo programa da SIC.

As razões são várias e a primeira está relacionada com o facto de já não gostar do formato internacional, que é um sucesso, quanto a mim, apenas e só porque as grandes estrelas do cinema de Hollywood participam.

Não gosto porque, neste programa, o objetivo é colocar pessoas conhecidas do grande público a fazer playback e a imitar grandes nomes da música. Grande coisa.

Já tivemos o mesmo, mas com os mesmos conhecidos a cantar e a dançar sem a ajuda de uma gravação.

A versão portuguesa tem um bom cenário, embora demasiado escuro, e conta com um Manzarra cada vez mais desinteressado e desajeitado a todos os níveis. O apresentador ou se reinventa ou corre o risco de desaparecer dos ecrãs por tempo indeterminado. Já César Mourão, de quem gosto e aprecio o trabalho, esteve melhor que o parceiro. Ainda assim, faço-lhe um reparo: gozou por duas vezes com o facto de Cristina Ferreira falar muito alto, mas ele próprio entregou-se ao histerismo durante todo o programa.

Por sua vez, Débora Monteiro não esteve péssima, só que a ideia de criar uma figura a que se chama de “DJ” e que na sua apresentação afirma que não é ela que vai passar música não faz qualquer sentido.

Outra das grandes falhas que tenho a apontar relaciona-se com a ausência de um pequeno excerto do original a que os convidados se propõem a imitar. Por acaso conheço o videoclip de “Toxic”, de Britney Spears, mas o restante público é obrigado a conhecer? Ou seja, quem nunca viu, perde o interesse porque não tem ponto de comparação.

Já a primeira atuação de cada artista e o “duelo final” são tão isentos de conteúdo que retiram, ainda mais, o interesse para o restante programa.

Mesmo assim, nem tudo é mau. Não ter um “760” durante toda a emissão é um alívio. Os convidados selecionados para o primeiro programa foram bons e, no geral, o “Lip Sync Portugal” até apresentou alguns momentos de diversão.

Apesar disso, e de o primeiro programa até não ter tido um mau resultado de audiência, acredito que este seja o primeiro grande erro de Daniel Oliveira enquanto Diretor de programas da SIC.

Categorias: Tags: