Informação ou Variedades?

Este domingo, dois dos principais serviços noticiosos da televisão portuguesa apresentaram duas situações pouco habituais, felizmente!

 

No Jornal das 8, da TVI, David Fonseca foi rapidamente entrevistado e apresentou o seu novo álbum, actuando, em directo. No Telejornal da RTP1, foi apresentada, durante cerca de vinte minutos, a nova série do programa 5 para a meia-noite

 

Dois jornais televisivos, próprios para transmitir ao público notícias sobre Portugal e sobre Mundo, transformam-se num espectáculo de variedades. 

 

Com tantos programas que existem, era mesmo necessário ter estes dois momentos na informação? Afinal um telejornal não serve só para informar? Serve também para entreter? Então para que servem os outros programas? Qual a diferença entre informação e entretenimento? 

 

Com estes dois exemplos, percebe-se que a diferença é cada vez mais ténue e isso não é bom. Ainda assim, o caso da RTP é bem mais gritante do que o da TVI

 

O canal público português, utilizou, sem qualquer tipo de pudor, um dos seus programas de maior audiência, que por acaso é o mais importante serviço noticioso da estação, para apresentar uma nova série de um programa que tem estreia marcada para breve. 

 

É impensável que um dia a RTP pudesse ter uma atitude deste género. Um espécie de conversa, em cenário “especial”, num momento sem qualquer tipo de intenção informativa.

 

Cada macaco no seu galho, e seria bom que o futuro da informação em Portugal não passa-se por este tipo de opções e inovações, para bem do público e para que não se confundam dois géneros de televisão distintos.

 

A SIC salvou a “honra do convento” e, na mesma altura, emitia uma grande reportagem. Mas que não se fique a rir, porque já cometeu o mesmo erro.

 

11 thoughts on “Informação ou Variedades?

  1. Não percebo o porquê da sua contestação? A cultura não tem lugar na informação? Onde é que está escrito que informação resume-se a política, crise económica e mais um ou outro tópico “sério”?

  2. Acho que os telejornais deviam ter limite de tempo ate 30 a 40 minutos.

    Isto porque passam o tempo a repetir as noticias durante a semana para preencher tempo.

    Durante o jornal deviam abolir a publicidade e os anuncios previos repetitivos da noticia a seguir.

    Deviam dar menos espaço a noticias do governo e oposiçao, deputados e outros agentes politicos e sindicais, parecem papagaios de varandas.
    Deviam tambem reduzir as reportagens exteriores e respectrivas entrevistas, que na maior parte dos casos nao acrescentao nada a noticia em si.

  3. Não vejo qual o problema.
    Foi no final do Telejornal, ou seja, depois de terem sido passadas as notícias, portanto, daí para a frente só vê quem quer.

    Quanto às técnicas de “meia-entrevista” (no caso da RTP) durante o Telejornal, são formas de “colar” o espectador à televisão. Mas como disse acima, só vê quem quer.

    No que toca à TVI, tive pena porque não sabia que o DF iria ser entrevistado e, como tal, só apanhei a parte final, precisamente porque já sabia anteriormente que o 5PMN estaria em destaque na RTP.

    Mais… como li num comentário, há sempre espaço para mais informação cultural, ou seja, 5PMN e David Fonseca. Um para diversão, outro para música.

    Respeito a opinião… mas acho que se fosse o Eddie Vedder (ocorreu-me agora este nome) a estar no Jornal já não comentavam. Digo eu….

  4. Tiago,

    Nunca se deve comentar os comentários dos outros, é desprestigiante para o autor, a partir do momento que se publica tem que se aguentar a opinião dos outros.

    Quanto ao caso concreto, sinceramente…, wy not?

    Bem haja.

  5. Para que não continuem a existir mal entendidos, o meu comentário foi removido, com a certeza, porém, de que não houve qualquer intenção de desprestigiar qualquer autor. Serviu apenas para esclarecer e clarificar a ideia inicial do post.
    Obrigado!

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: